Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

sábado, 8 de maio de 2010

PREPARATIVOS PARA UMA FESTA

Todos aqui tenho certeza, já participaram de algum tipo de festa que requereu um esmero maior. Adoro um homem “enternado” – dentro de um terno – e os paulistas, em minha opinião, são imbatíveis. Facilmente colocam aquele - o de sempre - mais chic, uma camisa e gravata bacana, fazem uma barba mais caprichadamente, umas gotas de perfume e voilá: estão lindos de viver. Esse terno poderia ser o correlato do nosso pretinho básico, que toda mulher - que se preze - tem um. Mas não conseguimos estar só com ele em todas as ocasiões. Repetí-lo sempre? Nem morta! Então começa a saga. Procurar um vestido, experimentar, querer opinião, olhar em uma, duas, quantas lojas forem necessárias até encontrar "O perfeito". Isso toma tempo e é cansativo. Depois da compra, ao chegar a casa, descobre que o sapato, a sandália que já tinha, não combina com o “perfeito”. Nova saída que, muitas vezes, se faz acompanhada “dele” para não ter erro. E a bolsa de festa? Aquelas coisas mínimas que mal cabem um batom, que ficam guardadas tempos e mais tempos no armário, que assim que você chega à festa, fica estacionada em cima de uma mesa até o final da mesma, mas é imprescindível? Esse tom não está bom, está over, está out e aí vai tentar ver com as irmãs, amigas, se alguém tem uma para emprestar. Isso quando todas não foram convidadas para a mesma festa e para seu azar, a bolsa que ficaria ótima com todo o restante é a que ela decidiu usar! Não estamos nem no meio da saga... Agora entra a parte dos complementos: brincos, anéis, pulseiras ou o que mais for do gosto da versão feminina -  Indiana Jones -  em busca da perfeição. É um põe e tira sem fim... Chegamos, finalmente, ao dia D. E jamais, como os homens, só aquele banho mais caprichado. Passemos ao item salão de beleza: depilação, sobrancelha, pé, mão, cabelo e maquiagem condizentes para tais datas. Horas e horas se preparando, enquanto nossos homens estão, bem tranqüilos em casa, bebendo uma cervejinha, vendo os treinos do GP ou uma partida de futebol. E se no salão houve atraso – sempre há nesses dias, parecem que os profissionais adivinham que é um dia especial – a mulherada vai se estressando de tal maneira, que quando chegam a casa, estão botando os bofes e tudo mais para fora. Toda pronta, se achando a própria diva (homenagem a Isabel) saem desfilando pela casa, aguardando os elogios. Quando não recebem os tais que todas querem ouvir, corre-se risco, bem real, de ocorrer um “matricídio”, “namoricídio”. E isso tudo, para dali a umas poucas horas, o cabelo já estar desmanchado, a maquiagem derretida depois de tanto dançar, os pés doendo por causa daquele salto altíssimo e a bolsinha de festa calmamente descansando num canto qualquer.  E o nosso gênero masculino? Conversando, rindo, serenos e impecáveis. É ou não é para invejar esses homens maravilhosos, simplesmente, enternados? Na próxima festa só mudam a gravata e quiçá a camisa!

6 comentários:

  1. Verdadeiríssimo. Por isso mesmo ando reduzindo os eventos sociais em minha vida. Restrinjo-me aos mais íntimos, onde não preciso ir tão produzida. E mantenho uma vaidade mínima, porque gosto de me sentir bonita, é um prazer olhar no espelho e ver que, mesmo aos 62 anos, ainda tenho aparência de menos idade e um certo charme. Admiro muito as mulheres vaidosas, que gostam de se enfeitar, mas não as invejo. Tôdentro de outros interesses a esta altura da vida. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Ha ,que saudades do tempos das cavernas...Em que a mulherada andava nua por tudo o que era sítio.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Este "Brio" da mulher, absolutamente justificado, é "duro" pra caraças ! :))
    O problema é quando elas fazem tudo pra ficar bonitas e não ficam rsrsrsrs
    Quando a minha mulher vai arranjar o cabelo e chega a casa, gosto de brincar com ela, perguntado : não arranjaste o cabelo ? Estava fechado ? rsrsrsrs Ela sabe que estou brincando, senão, ... era o fim da picada ! :))
    .
    .

    ResponderExcluir
  4. Chérie, isso tudo tem uma fácil explicação.
    Os homens são os talos das plantas, importantes sim, mas sem a função de embelezamento.
    Mas as mulheres são as flores, belas, coloridas, enfeitando o mundo. Fica fácil entender a razão de tanto sacrifício, dessa busca quase insana de melhorar o que já é belo.
    O objetivo é simplesmente enfeitar mais e mais os lugares que frequentam, principalmente quando ocorrem festas e elas se reunem em grande número e cada uma quer mostrar o que tem de mais bonito. Muito natural.
    Falando em beleza, hoje é o casamento do seu sobrinho Gustavo. Como já escrevi, que sejam felizes e que a beleza de todas vocês que se reunirem para comemorar esta importante data, se transforme em luz a iluminar o caminho nem sempre fácil da vida a dois.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Uai... Na outra "encadernação", em vez de brochura, capa dura. Ai, outra rima pobre... Mas como dizia uma amiga que já não está aqui: cada qual com seu cada qual!
    beijinho

    ResponderExcluir
  6. Ângela, amada!
    Pois então...vamos mudando mesmo. De vez em quando, ainda somos meio forçadas a cometer algumas dessas "extravagâncias" cansativas, que cansam a minha (nossa) beleza rsrs!
    Beijuuss n.c.

    Êita Manuel, amado! Pois as coisas eram bem mais simples e "naturais" nesses tempos. Tenho que concordar rsrs
    Beijuuss n.c.

    Rui, amado!
    Nem com todas as novas descobertas, cirurgias, creminhos e afins, MILAGRE ainda não tem rsrs. Que maldade você faz com sua mulher!!! Se fosse comigo era "matricídio" na certa rsrs
    Beijuuss n.c.

    JC, amado!
    Que linduuuu o que escreveu... Como só hoje estou respondendo (the day after) posso garantir que estávamos, tooooooodas, muito lindas colaborando para iluminar ainda mais o amor e a alegria dos pombinhos.
    Beijuuss n.c.

    Zé, amado!
    Na outra encadernação volto quiném...a "inveja" passa rapidim e é só de quando em vez rsrs
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget