Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

FELICIDADE REALISTA

"Meninas" e "Meninos" também: se Papai Noel não trouxe o que pediu na lista de ontem, Mário Quintana nos presenteia com um, eu quero, que vale a pena conquistar!

A princípio, bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos. Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis. Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas. E quanto ao amor? Ah, o amor... não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar à luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito. É o que dá ver tanta televisão. Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista. Ter um parceiro constante, pode ou não, ser sinônimo de felicidade. Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio. Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado. E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade. Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável. Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno. Olhe para o relógio: hora de acordar. É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza, instiga e conduz mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade. Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se. Invente seu próprio jogo. Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade. Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração. Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade.

9 comentários:

  1. O Tema do seu "post" foi muito feliz, deve-lhe ter proporcionado felicidade. Parabéns.

    O facto é que, quando agimos para satisfazer os nossos desejos imediatos sem tomar em linda de conta o bem dos outros, destruímos qualquer hipótese de alcançar uma felicidade duradoura.

    Bjis

    ResponderExcluir
  2. Digo linha e "não linda", perdão...
    Bjis

    ResponderExcluir
  3. Olá Regina,

    Basta consultar o dicionário para entender que felicidade é, como diz, uma coisa muito simples. Quanto ao resto, amor, saúde, dinheiro, até sexo, dificilmente descobrimos o real valor enquanto não sentimos a falta. E acabamos por confundir as coisas e usar as palavras erradas. Senão, os celibatários, os doentes, os pobres e até os castos não podiam nunca ser felizes. E a clareza com que a Regina explica este fenómeno chamado felicidade, bem como alerta para os equívocos mais frequentes, revela um sentido muito apurado, bem vivido, na certa. Não é qualquer pessoa que consegui escrever isso dessa maneira. Parabéns!

    Beijo,

    Alexandre Correia

    ResponderExcluir
  4. Cada vez que abro seu blog, é com satisfação que leio suas palavras..sempre acertadas!Não posso deixar de concordar e penso: é mesmo isto!!Felicidade...não é ter uma casa de luxo ou comer caviar...é simplesmente uma sensação de paz...qualquer que seja a nossa opção, a nossa visão da felicidade... A busca dessa felicidade, dessa paz, dessa alegria é a finalidade de qualquer ser humano.porque será ela tão difícil de alcançar? será por sermos muito exigentes?

    ResponderExcluir
  5. Regina, não posso dar pormenores, mas há algum tempo foi feito um estudo, para entender até que ponto o dinheiro trazia felicidade e uma incapacidade fosse a causa de infelicidade. Reuniram-se testemunhos de pessoas a quem tinha por. ex. saído o Euromilhões (muito dinheiro) e outras que tivessem sofrido um acidente, por ex. do tipo de causar perda do andar e recurso a cadeira de rodas. Os testemunhos deveriam ter deixado passar um período de cerca de 5 anos.
    Concluiu-se que os graus de felicidade actuais, comparados com os de há 5 anos, dessas pessoas, não tinham sido alterados significativamente.
    Isso provou que a felicidade é mais um estado de esírito inato, do que resultante de outros factores.
    .

    ResponderExcluir
  6. O momento, o presente, o estar aqui e agora.
    quantas vezes não percebemos não sentimos ou tocamos esses momentos.

    "Nós". Eu e você,tocamos tanto o momento do outro. E de repente pede socorro por um momento nosso! Belo, Simples. Realista!

    Perfeita a lembrança. Realidade na palma da mão..

    beejo, colega!

    Gleidi

    ResponderExcluir
  7. Afinal sempre tinha mais um artigo, eu até já tinha começado a ler, baralhei...

    Como gosto de ser feliz, quem não gosta?
    Só que para cada um, existe uma fórmula diferente que o faz ser feliz, ou aparentemente feliz, ou até confundido com a satisfação.

    "Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável"

    -Diz-me quase tudo, adorei!

    Acrescento uma reflexão que dizem ser de
    Fernando Pessoa.
    Provavelmente conhecerás, mas que vale a pena reler.

    Você pode ter defeitos,
    viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,
    mas não se esqueça de que
    sua vida é a maior empresa do mundo.
    E você pode evitar que ela vá à falência.
    Há muitas pessoas que precisam,
    admiram e torcem por você.
    Gostaria que você sempre se lembrasse
    de que ser feliz não é ter um céu sem tempestade, caminhos sem acidentes,
    trabalhos sem fadigas, relacionamentos sem desilusões.
    Ser feliz é encontrar força no perdão, esperança nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros.
    Ser feliz não é apenas valorizar o sorriso, mas reflectir sobre a tristeza.
    Não é apenas comemorar o sucesso, mas aprender lições nos fracassos.
    Não é apenas ter júbilo nos aplausos, mas encontrar alegria no anonimato.
    Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
    Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história.
    É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
    É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
    Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
    É saber falar de si mesmo.
    É ter coragem para ouvir um "não".
    É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
    Ser feliz é deixar viver a criança livre, alegre e simples
    que mora dentro de cada um de nós.
    É ter maturidade para falar "eu errei".
    É ter ousadia para dizer "me perdoe".
    É ter sensibilidade para expressar "eu preciso de você".
    É ter capacidade de dizer "eu te amo".
    É ter humildade da receptividade.
    Desejo que a vida se torne um canteiro de oportunidades para você ser feliz...
    E, quando você errar o caminho, recomece.
    Pois assim você descobrirá que ser feliz não é ter uma vida perfeita.
    Mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância.
    Usar as perdas para refinar a paciência.
    Usar as falhas para lapidar o prazer.
    Usar os obstáculos para abrir as janelas da inteligência.
    Jamais desista de si mesmo.
    Jamais desista das pessoas que você ama.
    Jamais desista de ser feliz, pois a vida é um obstáculo imperdível,
    ainda que se apresentem dezenas de factores a demonstrarem o contrário.

    Pedras no Caminho?
    Guardo todas, um dia vou construir um castelo...

    Kandandus a atravessar tanto mar para ti

    ResponderExcluir
  8. "A verdadeira felicidade custa pouco; sendo cara, é porque a sua qualidade não presta ..."

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Meus já amados Jorge, Alexandre,Isabel,Rui,Gleidi,Kimbanda e Manuel.
    Ameeeeiii de viver esse fórum que se estabeleceu aqui através das contribuições de cada um de vocês e só tenho uma palavra a dizer: OBRIGADA!!!! Uma correção Jorge: esse texto, que considero simples, sensível e profundo, não é meu. É de um grande escritor, como está logo no início escrito, Mário Quintana. Quem me dera saber escrever assunto tão polêmico com tanta simplicidade e pertinência! Um dia quem sabe...rsrsrs Vejo e ouço todos os dias na minha clínica, uma insatisfação absurda, uma busca desenfreada no ter em detrimento do ser, tudo em nome da tal busca da felicidade. No dia 11/10/09 escrevi um post sobre FIB (Felicidade Interna Bruta)que acho bem interessante... Termino dizendo, novamente, que ameiiii cada frase, cada F.Pessoa, cada um de vocês!
    Beijuuss nos corações de cada um recheados de felicidade

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget