Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

FREUD NO COTIDIANO - PARTE II -


 Não queremos defender ou amaldiçoar Freud. Mesmo porque, por mais que se critique e alguns o chamem de charlatão, ele continua a ser uma presença contemporânea, no sentido de que sua contribuição se estendeu além dos limites culturais de sua própria época. Mesmo que certas teses de Freud tenham caído em descrédito, seus textos continuam a exercer um impacto que não tem similar em nenhum dos pensadores que se apresentaram como alternativas. Freud nos mostrou que a psicanálise serve para a pessoa normal que deseja algo mais da vida, que não está contente com sua existência, que acredita haver um modo melhor de viver. Serve para o homem de negócios, atormentado e nervoso; para a dona de casa, preocupada e agitada; para a funcionária que ainda não melhorou na carreira; para o cidadão que se casou muitas vezes; para a criança birrenta e sem limites; para o homem e a mulher que não conseguem deixar de beber ou de tomar antidepressivos; para os solitários, para os deprimidos e para os tantos que não se realizam de alguma maneira. Hoje em dia, a medicina não estuda apenas as crises histéricas que viraram febre no século de Freud. As doenças do homem moderno, tais como TOC – transtorno obsessivo compulsivo -, neuroses, obsessões, fobias e tantos outros males, estão, mais e mais, desafiando os psiquiatras, psicólogos, neurologistas, filósofos e demais profissionais que tentam abrandar a dor humana. (continua...)

8 comentários:

  1. Olá Regina querida.
    Após tomar a minha boa disposição na postagem anterior, vim ler e aprender um pouco contigo.
    Um blogue que se preze é assim, humor, saber, simpatia... E quem está por detrás de tudo isso?, é?
    ...a nossa rainha e amiga que nos recebe tão bem.
    Beijos e kandandus do coração a atravessar tanto mar

    ResponderExcluir
  2. Olá Regina!
    Do senhor, conheço apenas aquilo que toda a gente conhecerá, e que é pouco. E desconhecia que existisse alguém que admitisse que ele possa ter sido um charlatão.Teorias desacreditadass pelo tempo acontecem em todas as áreas da medicina, e não só.
    Há bem pouco tempo atrás surgiu um grupo de pessoas a propor ao comité do prémio Nobel que o galardão atribuido ao médico Egas Moniz lhe fosse retirado, supostamente porque auilo que lhe deu o prémio seria condenável, e inaceitável, como prática médica. Há verdades que são datadas,apenas temporais, é o que parece ...

    Beijinhos.
    Vitor

    ResponderExcluir
  3. Kimbanda
    Você e seus comentários sempre gentis e carinhosos... Imagina, quem sou eu para ensinar algo?! Estou sempre aprendendo, aprendendo e tenho sempre a sensação que nada sei! Nesses 25 anos de profissão sempre tentei "amenizar" a psicanálise seja nas minhas palestras, congressos ou na minha prática. Não é tarefa fácil, pois corremos o risco de banalizá-la, simplificá-la de tal maneira que acabaria com todo seu rigor técnico. Vou tentando, pois acredito que todos devem compreendê-la tanto quanto se beneficiarem, quando necessário. Quem sabe um dia, amigo, poderei lhe contar que consegui? Enquanto isso...vou treinando rsrsrs!
    Beijuuss n.c. do lado de cá do Atlântico

    ResponderExcluir
  4. Oi Vitor
    A humanidade ocidental foi exposta a três grandes feridas a que chamamos de FERIDAS NARCÍSICAS que foram provocadas pelas revoluções de Nicolau Copérnico, de Charles Darwin e a Psicanalítica, do próprio Freud.
    • Primeira Ferida: Copérnico descobre que “não somos o centro do universo”. A Terra não está no centro do universo como se pensava anteriormente e o homem não é o centro do mundo.
    • Segunda Ferida: Darwin revoluciona a sociedade ocidental quando diz que “não somos seres especialmente criados" e que, na verdade, "descendemos de primatas", não tendo sido criados por Deus, crença absoluta da época.
    • Terceira Ferida: Sigmund Freud com seus estudos sobre o aparelho psíquico afirma que “não somos sequer senhores de nós mesmos; a consciência é a menor parte e a mais fraca de nossa vida psíquica” e aí confirma a existência do INCONSCIENTE, que nos impede de sermos donos de nossas mentes.
    Como você pode perceber,depois de uma afirmação dessas há, com certeza, pessoas que não admitem não serem senhores de si e Freud passa a ser um grande charlatão! Mas é um "charlatão" que opera maravilhas nas vidas das pessoas!
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  5. Em última análise, precisamos amar para não adoecer.

    Sigmund Freud.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Ah Manuel, COM CERTEZA!!! Não tem prá ninguém nem prá nenhuma doença quando amamos e somos amados.
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  7. '...sua contribuição se estendeu além dos limites culturais de sua própria época."

    Perfeito.

    ResponderExcluir
  8. Essência e Palavras (queria saber seu nome, moça!)
    Sabe, apesar de Lacan ter sido importantíssimo para nós, não abro mão do Homem de jeito nenhum, de nenhum jeito rsrs!!! Sou eternamente apaixonada por Freud e fidelíssima a ele. Só mesmo com sua autorização arrumei, Lacan de "amante" rsrs.
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget