Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

INVEJA e GRATIDÃO


Já tem tempo que venho observando a dificuldade que as pessoas tem em elogiar o outro seja na aparência, naquilo que faz, nas conquistas, nas mudanças. Nesse mundo de tanta competitividade se alguém elogia é porque têm segundas, terceiras intenções... E o elogiado mentalmente se pergunta: o que ele quer? Com certeza vai me pedir algo? Reconhecer o esforço, o trabalho e as conquistas do Outro então, nem se fala! Mais fácil apontar aquele defeitinho. E compartilhar o caminho das pedras que você encontrou? Nunca, jamais, em tempo algum. Você que rale sozinho, eu não ralei? Vou te dar de bandeja? Assim? De graça? Por muitos razões – principalmente minha clínica – venho examinando o fenômeno da inveja. Um cliente me conta que trouxe do interior um colega de infância, abriu-lhe a casa e a família, arranjou-lhe lugar na própria firma, e tudo ia muito bem, quando daí a anos notou que o outro estava fraudando a empresa e tentando arruiná-la. Chamou-o para uma conversa e o amigo fez-lhe revelação dolorosa: sentia-se “sufocado” pela generosidade do outro, tentou ser como ele, imitá-lo. Não conseguindo, resolveu destruí-lo. Melanie Klein, psicanalista, em seu ensaio “Inveja e Gratidão” nos explica a relação entre os dois sentimentos. E, pode acreditar, ela existe.
Para M.Klein a criança tem, em relação ao seio materno, uma sensação de amor, realização e gratificação, ou um sentimento de ódio, inveja e destruição. Existe um componente oral e anal sádico na inveja. Para outros, como Karl Abraham, o invejoso é um sujeito com problemas mal resolvidos na fase anal de sua formação. Seja como for, é melhor acompanhar a sabedoria popular e colocar uma cabeça de alho sobre a mesa de trabalho, andar com um ramo de arruda na orelha, porque a inveja e o mau-olhado podem matar.
Como a inveja é uma construção neurótica, o desaparecimento do objeto da inveja não resolve o problema. O invejoso pode trocar de objeto de inveja ou introjetá-lo de tal modo, que a única maneira de matá-lo definitivamente é matar-se a si mesmo, pensando que assim ficará livre do outro, que na verdade é uma invenção dele.
É complicadíssima a cabeça do invejoso, pois não suporta a generosidade. Agora vejam que problema para o generoso. Como entender que fazer o bem faz mal? E mais: o invejoso carrega “ansiedade persecutória”. Vive inventando que o estão perseguindo, tentando segurá-lo, boicotá-lo. Oh céus, oh vida! E uma das especialidades é o cochicho, as meias palavras, à sombra. Raramente vem à luz. Não suporta o confronto, só de viés.
Quando se elogia, compartilha conhecimento, se é generoso. A energia contida nesses elementos circula e volta, para o doador, potencializada. Tudo flui em grandeza, e aí nem precisa de arruda ou alho, o invejoso sucumbi diante de tamanha generosidade e crescimento. Que tal colocar sua nota de 100 reais no balcão? Circulando...Circulando...

6 comentários:

  1. Regis meu bem, elogio e inveja realmente são assuntos qe dão pano pra manga.
    Eu sempre fico brava com alguem amigo ou não, que quando recebe um elogio trata logo de monospresar o objeto elogiado. Resquícios da religião católica da falsa humildade Que roupa linda!!!Que nada, é velha, ou comprei em uma liquidação, ou é emprestada de fulana. Nesse ponto adoro o jeito americano de ser. Com eles não tem ximxim minha nega. Elogiou tá elogiado e eles levam a sério e se vc tava gozando ou sendo maldoso se ferrou porque o tanks vem imediatamente após o elogio.
    E aqui temos tb outro probleminha. Tb. acho q são falhas da religião católica. Se a gente vê alguma coisa interessante q mereça elogio, não fala pro outro não ficar convencido. Mas que besteira...é pra ficar mesmo... convencido inchado e feliz.
    bjins
    eidia

    ResponderExcluir
  2. Ieda
    É isso, amada. Ando numa brabeza com essas coisas minina, só cê vendo! Uma amarração de tudo e todos que só meu São Jorge prá me salvar rsrs
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  3. RE,COMO TE DISSE NO SALAO è DIFICIL PARA CERTAS PESSOAS ACEITAREM O FATO DE SERMOS COMO SOMOS.E ISTO CAUSA INVEJA,E MUITAAAAAAAA.TEM PESSOAS QUE A FELICIDADE DOS OUTROS TBEM INCOMODA MUITO E ISTO TBEM CAUSA ESTA MESMA INVEJA.MAS JA TE DISSE ENTRA NO OUVIDO E SAIU NO OUTRO,PORQUE O IMPORTANTE PARA MIM è A MINHA FELICIDADE E DE MEU MARIDINHO.O RESTO MINHA AMADA TEMOS QUE DELETAR PORQUE SENAO ACABAMOS TRISTES,E è ISTO QUE ELES QUEREM.PORTANTO RODA A BAIANA E VAMOS DAR A VOLTA POR CIMA.PORQUE ASSIM ESTAREMOS SEMPRE DEIXANDO COM VONTADE DE SER IGUAIS A NOS.
    BEIJOS MINHA LINDA E ATE SEXTA.
    MARYSEXY

    ResponderExcluir
  4. MarySexy Amada é isso aí...como dizia Ibraim Sued "os cães ladram, mas a caravana passa" rsrs. Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  5. TENHA CERTEZA DE QUE LI SIM,INCLUSIVE O DO RAPAZ DA LOJA.NOSSA!!!! SE FOSSE COMIGO IRIA FICAR VERMELHA = PIMENTAO.QUE MICO.
    BEIJAO MARYSEXY

    ResponderExcluir
  6. Muito bom o seu artigo. Fazia tempo que não via alguém falar com tanta propriedade sobre o assunto. Parabéns!

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget