Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

VIK


Sempre fui apaixonada com arte em todas as suas manifestações (leia posts dos dias 02 e 03/07: "Artistas e suas loucuras"). Eu me arrepio e choro diante da arte que toca minha alma. É, choro messsmo e talvez por isso Vênica estranhasse, quando lhe disse que ainda não tinha visto VIK. Pois fui ontem e babeeei por duas, impagáveis, horas de puro prazer e deleite. Aí ao lado é seu auto retrato todo feito com bolinhas de furador de papel...incrível! É cada idéia que o cara tem...só podia ser artista mesmo.






“Olha à sua volta: há um mundo de coisas para as quais você não dá a menor importância. Poeira? Você já considerou a poeira como algo possível de ter outro significado? E o lixo, pode ser algo além de ser, simplesmente, lixo? Pois bem, um artista brasileiro – seu nome é Vik Muniz – foi capaz de olhar essas coisas cotidianas e, com elas, recriar possibilidades de apresentar e perceber o mundo.”




     "Uma imagem de diamantes valeria mais que uma imagem de chocolate?"








“Acredito que nem todas as pessoas sejam artistas, mas todas que desejarem ser possuem tudo o que o mundo tem a oferecer para que um dia elas se tornem. Se eu pude, qualquer um pode".


 
“Eu julgo minha maturidade artística pela habilidade de me fazer entender pelas crianças por ser como uma delas. Você só é jovem uma vez, mas isso pode durar uma vida inteira.”


Informações: VIK  Onde? Museu Inimá de Paula. Endereço: Rua da Bahia, 1201 - Centro. Horários de Funcionamento: terça, quarta e sexta 10 às 19hs, quinta 12 às 21hs, sábado 10 às 19hs, domingos e feriados de 10:30 às 17hs.
Ingressos: R$10,00 (inteira) R$5,00 (meia). Entrada gratuita para menores de 10 anos e maiores de 60 anos.
NÃO DEIXE DE VISITAR É MUIITO BACANA! Para Vik Muniz, o artista faz a metade do trabalho: a outra parte é feita pelo espectador, que exerce um papel ativo. Entre nessa aventura, que é ver a exposição: ouse e reinvente seu olhar!






2 comentários:

  1. Minha Rainha nem me convidou p/ir junto? Por causa diquê? Mas esse aperitivo, como vc diz, foi tudo de bom. Beijos nocê
    Freddy

    ResponderExcluir
  2. Se é prá abrir a caderneta de cobrança...quem foi ver Chagall e Rodin e nem me chamou????rsrsrs Posso voltar com vcs na boa, pq é bacanérrimo. Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget