Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

sexta-feira, 16 de julho de 2010

AIDS: A VIDA CONTINUA...

Tenho uma paciente que conheci no hospital a partir de um pedido de interconsulta. Além da situação traumática que vivia – vítima de acidente de ônibus/perna amputada – é HIV positiva há dez anos. Fui chamada porque ela “estava dando muito trabalho às equipes médicas e enfermagem.” Passados dois anos desde o tal acidente, continuamos nossas sessões psicoterápicas a nível ambulatorial. O TEPT (Transtorno de Estresse Pós-Traumático) requer um tempo, nada cronológico e bem singular, para atingir a etapa de superação. Ao longo desse tempo ela me conta que participa de uma academia, que faz parte do Grupo Vhiver. Considerada uma das mais importantes ONG AIDS do Brasil e reconhecida, internacionalmente, por organizações como a UNICEF e a UNAIDS (ONU para AIDS), o Grupo Vhiver promove diversas atividades alcançando o número de 9.038 atendimentos por mês, de pessoas que vivem com HIV/AIDS, além de seus familiares e amigos, garantindo a qualidade de vida e igualdade de direitos. Para vocês terem idéia dessas atividades é só acessar o site WWW.vhiver.org.br.
Escrevo tudo isso - com o consentimento dela - por indignação! Quando penso que não vou me espantar com mais nada, vem algo absurdamente para me avisar: você tem muito, ainda, para conviver com o espanto! Como o grupo vive, sobrevive de parcerias e doações, descubro que tanto a prefeitura de BH, quanto o Governo de Minas (“parceiros”- “apoio”) só os procuram e fazem suas “doações” em ano de eleições! Essa é uma rima pobre mesmo!!! E então, nesse ano estão lá... Passadas as eleições cadê a parceria que estava aqui? GATUNO COMEU! Pode? Não só pode, como mais espantada, estarrecida fiquei, quando ela me conta que, a unidade a qual freqüenta, por se localizar em zona “nobre”, zona “sul” da cidade, foi e é – constantemente – ameaçada pela vizinhança “nobre”, imune, para seu fechamento, pois “lá só tem homossexuais e aidéticos”. Pode? O preconceito, a falta de informação, a nobre ignorância, ainda reina despotamente em pleno século XXI. Não preciso que chegue dia 1º de dezembro (Dia Mundial de Luta contra a AIDS) nem mesmo o carnaval para saber o quanto e como podemos fazer, todos os dias, para darmos valor ao que temos de mais precioso: a VIDA a ser vividamente VIHIVIDA!


                     DIGA NÃO AO PRECONCEITO. DIGA SIM À INCLUSÃO SOCIAL.

P.S. Como nada acontece por acaso messsssmo, essa postagem estava "programada" para um outro dia. Depois do selinho de ontem...

14 comentários:

  1. Verdade Rê. Indignante tanto oportunismo e populismo político e também tanto preconceito por parte das populações com cultura do século passado.
    Ainda há bem pouco aqui se recusava apertar a mão a alguém com HIV e era-lhes recusado emprego !
    Tinham que manter em segredo a doença !
    Tudo que possamos fazer para lutar contra estes preconceitos parece sempre ser pouco !
    Beijão, minha amiga.
    .

    ResponderExcluir
  2. Uma sociedade sem preconceitos faz um mundo sem escrúpulos .

    Beijo e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  3. Olá, blogueira!

    Usando a camisinha, todos curtem melhor a vida e sem preocupação. Ajude a divulgar informações e conscientizar mais pessoas sobre as formas de contágio e prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, como o vírus HIV. Conheça algumas das atuais campanhas contra o preconceito e de prevenção a DSTs do Ministério da Saúde. Ajude-nos a divulgá-las. Vamos juntos conscientizar um número maior de pessoas.
    Camisinha. Com amor, paixão ou só sexo mesmo. Use sempre.
    Para mais informações: comunicacao@saude.gov.br, www.aids.gov.br ou www.formspring.me/minsaude .

    Atenciosamente,
    Ministério da Saúde

    ResponderExcluir
  4. Digo Não ao Preconceito e se for preciso... ladro rosno e mordo. Já devíamos ter saído da Idade Média... mas está difícil :(

    Bjos e um bom fim de semana

    ResponderExcluir
  5. Rui, amado!
    Infelizmente isso ocorre no mundo todo... Por mais que se esclareça, o HOMEM é pobre de alma. Ainda esse ano, o vencedor do BBB não declarou, em rede nacional, que a AIDS é uma doença que atinge, somente, os homossexuais??? Mesmo tendo sido feito "as correções" necessárias por parte da emissora, a população não votou(?) e foi esse ... que ganhou????
    Beijuuss n.c.

    Manuel, poeta, amado!
    sm (lat scrupulu) 1 Hesitação sobre a bondade ou ruindade de um ato próprio. 2 Consideração ética ou moral que inibe a ação. 3 Muita atenção; zelo. 4 V meticulosidade. 5 Grande suscetibilidade. 6 Remorso.
    Eu realmente, dessa vez, não entendi... Me desculpe, mas ultimamente só estão a funcionar o TICO e o TECO (dois únicos neurônios do meu cérebro rsrs).
    Beijuuss n.c.

    Olá Ministério da Saúde!
    Quanta honra em recebê-los em meu Divã. Sendo uma profissional da área de saúde e prestando meus serviços, também, num hospital geral conheço "algumas" campanhas de vocês. Minha colaboração, divulgação, é feita diariamente com cada paciente, familiar que recebo, além de palestras em muitas empresas daqui (média de ouvintes 200). Não só em relação ao HIV, DST, mas também em relação à Dengue, H1N1, CA,alcoolismo, drogas, tabagismo, etc. Confesso: é um trabalho de formiguinha... Minha questão em relação às campanhas de vocês é: qual o motivo de serem feitas só em determinadas épocas? Não há espaço e verba reservada e destinada, para que as mesmas sejam veiculadas de todas as formas possíveis ao longo de todo o ano??? Somente durante "surtos endêmicos/epidêmicos"??? Ou ainda em épocas que, pressupostamente, corre-se mais risco? Estou e estarei sempre ajudando as pessoas... Podem ter certeza! E o Ministério da Saúde? Como pode ajudar os profissionais a prestarem seus serviços com dignidade? À população, que morre na fila de espera pelo atendimento/vaga através do SUS? Aos hospitais públicos? Quem sabe não podemos fazer uma grande parceria? Como diz o povo: "uma mão lava a outra e as duas, lavam o rosto"! Agradeço, novamente, a visita de vocês e me coloco, à disposição, para fazermos "POR UM MUNDO MELHOR"!!!
    Atenciosamente, a blogueira
    REGINA ROZENBAUM

    Isa, amada!
    Vês que somos da mesma espécie rsrs
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  6. Bom, mais uma vez a sintonia entre nós acontece. Vim aqui te dizer que postei meu selinho, e tratei justo sobre intolerância.

    Quando vamos nos esforçar mais pra construirmos o mundo mais justo, já que perfeito é tarefa impossível???

    ResponderExcluir
  7. Milene, Pétala, amada!
    Já fui lá e já voltei... Como você já sabe, deve ter lido (espero rsrs) não acredito em "coincidências"... pura conexão, sincronicidade!!! De perfeição TÔFORA, pois imperfeição sou... Agora, JUSTIÇA, preciso crer que um dia viveremos num mundo assim: mais JUSTO!!!
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  8. O preconceito é o que mata este mundo... Mas como diz o mestre Renato Russo: "Eu sei que um dia a gente aprende"

    Bjuxxxx

    ResponderExcluir
  9. Carlos, mininu-poeta, amado!
    E eu completo sem nenhuma maestria:...eu sou "nova" e aindo aprendo rsrs.
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  10. "Eu penso em renovar o homem usando borboletas". (Manoel de Barros)

    Muito belo tudo que li aqui. E preconceito era algo que não deveria mais contar no dicionário do XXI

    BEIJOS!
    Si.

    ResponderExcluir
  11. Si, seja muito bem-vinda ao nosso Divã!
    Que bom que gostou do que por aqui encontrou. Como respondi,anteriormente, não deveria existir em lugar e de nenhuma maneira... Mas, infeizmente, mais que palavra no dicionário, é vivência, de maneiras diversas, por cada um de nós. Volta mais, terá sempre um lugar reservado prá vc! Vou lá te conhecer...
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  12. Ainda teremos muito porque chorar!... De espanto e desgosto. Acho que sei porque sua 'paciente' andava 'dando trabalho': ela, e tantos outros, passam a ser 'impacientes' com tanta insanidade e hipocrisia. E dizem que somos os animais racionais... Sei não! Beijos e lamentos.

    ResponderExcluir
  13. Ângela, amada!
    Animais sim... racionais(?), insanos, hipócritas,impacientes... pq não há PACIÊNCIA que aguente tudo, o tempo todo, como animais dando a cabeça e o corpo num matadouro!
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  14. A discriminação faz tão mal que não consigo encontrar uma palavra para descrever o sentimento que ela provoca. Sofri muita discriminação quando criança e doeu demais. Hoje não dói mais, talvez porque tenha conseguido "vencer na vida, mesmo sendo preta". Mas a maioria das pessoas é hipócrita, e isso ainda dói...

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget