Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

terça-feira, 6 de julho de 2010

TEMORES

Eu tinha medo de ficar só
até que aprendi a gostar de mim mesmo. (já faz tempo)

Temia fracassar…
mas percebi que só fracasso se desistir. (não irei, mesmo que tudo e todos me digam para tal)

Eu tinha medo do que as pessoas pudessem pensar de mim…
até que percebi que o que conta realmente é o que penso de mim mesmo, com consciência, lucidez e humildade. (sei quem sou e tudo aquilo que fiz,faço e farei... deito a cabeça com tranquila consciência)

Eu temia ser rejeitado…
até que percebi ter fé em mim mesmo, que sou meu maior companheiro. (ELE me acompanha)

Eu tinha medo da dor…
até que percebi que o sofrimento só me ajuda a crescer e afasta de mim a arrogância. (dói muito, mas não posso e não quero parar de crescer)

Eu temia a verdade…
até descobrir que a verdade é um espelho quebrado em mil pedacinhos.
Ninguém é dono da verdade,
pois não tem mais do que um caco dela. (juntarei caco por caco, e um mosaico da vida farei)

Eu temia as perdas e a morte…
até que aprendi que as perdas não representam o fim, mas o início de um novo ciclo. (Rê/começar)

Temia o ódio…
até que aprendi que o ódio é um veneno que a pessoa toma pensando atingir o outro. (tôfora)

Eu temia o ridículo…
até que aprendi a rir de mim mesma. (palhacinha da vida)

Temia ficar velha…
até que compreendi que posso ganhar sabedoria a cada dia. (e que nunca estarei "pronta")

Temia ser ferida nos meus sentimentos...
até que aprendi que ninguém consegue me ferir sem minha permissão. (eu permiti)

Temia a escuridão…
até que entendi a importância da luz de uma pequena estrela. (e como uma só, bem pequenina, é capaz de iluminar)

Temia mudanças…
até que percebi as mudanças pelas quais tem que passar uma bela borboleta antes de poder voar. (liberdade dentro de mim)

Eu ainda tinha medo de ficar só.
Até que aprendi que a única pessoa que estará comigo em todos os momentos da minha vida sou eu mesma!
Vamos enfrentar cada obstáculo à medida que apareça em nossas vidas com coragem e confiança.
E não esqueça
Nunca desista de você!

(Autoria Desconhecida, apesar de inúmeras pesquisas.)

2 comentários:

  1. Comentar o quê? Acrescentar o quê? Está tudo aí e basta aplicarmos com sinceridade e convicção em nossas vidas. Gilberto Gil já cantava: '...tá na cara, você vai ver, que a caretice tá no medo...' É normal ter receios, mas eles não podem nos paralisar. Beijos 1000

    ResponderExcluir
  2. Ângela, iluminada, amada!
    Minhas irmãs (duas delas) estudaram no Aplicação (lembra-se desse colégio?)e são verdadeiros modelos de aplicação rsrs Eu, caçulinha e mais rebelde rsrs fiquei com a parte da convicção e sinceridade e ando, agora, tentando fazer a tal aplicação diária rsrs De vez em quando e de quando em vez dou essas trupicadas que dói lá na alma e no coração!
    Beijuuss n.c. (fiquei "tristinha" com seu retorno pro "santuário", mas vou aplicar a paciência para aguardar seu esperadíssimo retorno)

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget