Não importa onde estamos, numa mesa de bar ou no divã do analista, nossa mente nunca para e nossos medos e desejos nunca nos abandonam. Nem por um instante nos separamos do que realmente somos e, por mais difícil que seja, não controlamos cem por cento nossas atitudes. Se Freud, após 40 anos de estudo da mente humana, continuou com várias dúvidas sobre o ser humano, quem sou eu ou você para julgar as “crises histéricas” da melhor amiga? Só Freud explica!?!
Coisas simples que todos vivemos,pensamos,sentimos e nem sempre conseguimos partilhar. Assuntos, temas, extraídos da minha experiência clínica e do meu cotidiano. Em alguns você pensará: tô fora... Em outros: tô dentro...

segunda-feira, 5 de julho de 2010

O QUE EU QUERO?

“O destino não é uma questão de causalidade é uma questão de escolha; não é algo porque se deva esperar, é algo a ser conquistado.” (William Jennings Bryan)



Essa é uma pergunta que ouço sempre de pacientes, amigos, familiares e de tempos em tempos de mim mesma. Nos últimos dois anos vira e mexe ela surgia dentro de mim e eu a afastava para bem longe. Para encontrar a resposta precisamos aprender a reconhecer a diferença entre nossos pensamentos e sentimentos. Nessa busca nos angustiamos. Angústia é o nome do afeto que não se engana. Você, ele, eu, o mais simples dos mortais é capaz de descrever – minuciosamente – aquele abafamento, aperto no peito que queima, sentimento incômodo de alguma coisa desconhecida que nos invade, comove e ao mesmo tempo nos move. Às vezes nos leva direto a um analista e devo dizer que é onde se deve ir quando esse incômodo persiste.
Lacan nos ensina que a angústia surge quando a falta falta, quando ficamos colados (superbonder mesmo) ao outro, de tal forma que nenhuma distância é possível e, portanto, nenhuma liberdade para desejar por si mesmo. Quando fazemos essa colagem, em bloco, com o outro, esquecemos nosso desejo e ficamos à mercê, nas mãos do outro. E aí como descobrir resposta à questão? Se ignorarmos nosso desejo poderemos ser manobrados. Caso não tomemos posse do que queremos, é fácil sermos conduzidos. Mas depois reclamamos.
O óbvio é a última coisa que enxergamos. Se a ponta do meu nariz está suja, fico estrábica, mas não conseguirei enxergar. Ou minha ida/coragem à frente de um espelho me mostrará, ou outro – que funciona como essa imagem especular – me anuncia, o que para todos (menos para mim mesma) já era denúncia. É assim com todo mundo.
Precisei me concentrar no que eu queria. Minha vida havia passado a ser um luta. E ela só se transforma nisso, quando lutamos contra ela. Há uma grande diferença entre luta e esforço!
Acordar... Afinal essa é a minha vida, mas enquanto não enfrentasse a culpa que me afligia – e a quase todo mundo na Terra – eu não poderia ser capaz de viver, trabalhar, amar de modo satisfatório.
A culpa transforma o amor em ressentimento e depois em ódio. Ela nos impede de sentir tudo o que fazemos bem. A culpa nos diz que sentir-se bem é errado. E depois se contradiz dizendo-nos que fomos tolos por não termos feito o que queríamos fazer. O tema musical é: “culpada porque fiz, culpada porque não fiz” e a melodia não é nada bonita.
Cheguei ao fim de uma determinada etapa da minha vida. Era tão óbvio que precisava resolver um assunto pendente que - minha decisão - não foi difícil de tomar. Demorou “somente” dois anos!
Clarissa Pinkola Estés escreveu algo - que muito me agradou - em Mulheres que correm com os lobos:
"Dizem que tudo o que buscamos, também nos busca, e se ficamos quietos, o que buscamos nos encontrará. É algo que leva muito tempo esperando por nós. Enquanto não chegue, nada faças. Descansa. Já tu verás o que acontece enquanto isto.”
E como aprendi com um amadíssimo meu: É VIDA QUE SEGUE...



16 comentários:

  1. Isto da vida é como fazer um bolo, se tivermos os ingredientes todos fica óptimo, se faltarem alguns, uns encostam-se, queixam-se e não fazem nada, outros podem reclamar mas tentam inventar uma receita com o que têm ;)

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Não posso estar, mais de acordo com o William Bryan e menos de acordo com a Clarissa Pinkola.
    Não acredito em destino nem em fatalismo.
    A minha lei é: "Quem faz o que sempre fez terá sempre o que sempre teve". O "destino" é a procura e a escolha do que ambicionamos. Nada virá ter connosco se não o procurarmos. Ficar à espera não conduz a lado algum.
    Se achamos que temos que fazer qualquer coisa façámo-lo. Não esperemos 2 anos.
    Outro lema é: "Não te arrependas do que fizeste que deu errado. Arrepende-te de não ter feito o que podias ter feito" !

    Beijo, minha querida. Desculpa se estamos em desacordo, apesar de, nestas coisas, seres a especialista !
    .

    ResponderExcluir
  3. Meu e-mail:
    CarlosAugustomatos84@gmail.com

    Bjuxxxx e ótimo post linda!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Em busca do destino a pessoa descobre-se a si mesma ...

    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Após nossa inesperada e sempre bem vinda conversa de hoje, nada a declarar! Você está fazendo um movimento importante e eu fico aqui torcendo e enviando luz, muita luz! Beijos

    ResponderExcluir
  6. É vida que segue!
    Tb tive que aprender.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Minha amiga...nestes dias de pouco tempo pra visitar os amigos, passei rapidamente, e, só hj, com mais tempo, cheguei aqui. Nossa, quantas questões profundas, Rê!
    Como precisamos do alguém que Chaplin (fabuloso!) descreveu...e bem ou mal no palco da ilusão, pintamos mesmo o coração - será que amando mais do que somos capaz??...e nesta vida terrena, traçamos o rastro das pegadas que forjam nossa história - até o "apito final"...

    Virar esta, mais uma das páginas da história - e caminhar adiante, pq "é vida que segue", né amada??

    Bjo grande, com afeto!

    ResponderExcluir
  8. É como o amor e o cuidado que protegemos nossa vida para que ela nao seja arrastada pelo ritmo de outra pessoa..pela fome de outra pessoa...

    Perfeito, doído e verdadeiro seu texto, Rê.

    Adorei sua visita, faça isso mais vezes.

    beejo!

    ResponderExcluir
  9. Isa, amada!
    Haja criatividade...mas é nessas horas, que não temos todos os ingredientes e achamos que a receita vai desandar, que nos surpreendemos com o resultado final: DELICIOUS!!!
    Beijuuss n.c.

    Rui, amado!
    Nada de desculpas. Não sou especialista de mim mesma rsrs e venho aprendendo que, cada um de nós tem o tempo que lhes é necessário para aprender e fechar cada ciclo de sua vida. Nem mais nem menos...
    Beijuuss n.c.

    Carlos,mininu-poeta, amado!
    Anotado.
    Beijuuss n.c.

    Manuel, poeta, amado!
    EXATO, PRECISO, PONTUAL.
    Beijuuss n.c.

    Ângela, iluminada, amada!
    E que movimento, né amiga? OBRIAGADA por seu amor, amizade e por toda a LUZ que me envia, incondicionalmente. AMO VOCÊ DE VIVERRR!
    Beijuuss n.c.

    Fatinha, amada!
    É bom saber que não somos únicas nessa aprendizagem... e o quanto aprendemos para seguir nessa vida!
    Beijuuss n.c.

    Dê, moça linda de viverrr, amada!
    Vou responder usando e abusando de Guimarães:
    "A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa,
    sossega e depois desinquieta.
    O que ela quer da gente é coragem."

    ""Mire veja: o mais importante e bonito, do mundo, é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas - mas que elas vão sempre mudando."

    "Sempre que se começa a ter amor a alguém, no ramerrão, o amor pega e cresce é porque, de certo jeito, a gente quer que isso seja, e vai, na idéia, querendo e ajudando, mas quando é destino dado, maior que o miúdo, a gente ama inteiriço fatal, carecendo de querer, e é um só facear com as surpresas. Amor desse, cresce primeiro; brota é depois."
    É VIDA QUE SEGUE, AMIGA!!! E VAI SEGUINDO COM AS BENÇÃOS DELE!!!
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  10. É muito fácil dizer "foi o destino", "tinha que ser", "maktub", "estava escrito"...
    Acho que também nós temos que dar um empurrão ao nosso destino, desviar-lhe a rota quando não está a ir para onde queremos, ou sempre sonhamos...
    O problema ou a grande dificuldade é ter a coragem e a energia para alterar esse caminho, que estaria, a priori, já traçado...por quem? pelos astros? pelos Deuses?
    a Vida é nossa!!

    ResponderExcluir
  11. Linda, desculpa, tudo com letra minuscula o meu e-mail... ok?

    Bjuxxx meu bem!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. Minina, pura essência em palavras, amada!
    É assim mesmo... doído e a "minha" verdade. Volto lá com maior prazer!
    Beijuuss n.c.

    Isabel,diva,amada!
    Com certeza temos que fazer a nossa parte...respeitando o tempo maturacional de cada um. Não adianta messssmo forçar a barra!
    Beijuuss n.c.

    Ah, mininu-poeta, amado, então posso até acreditar que nauuuuuummm tô tão doida como pensava rsrs...só um cadim!
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir

Passou por aqui? Deixa um recado. É tão bom saber se gostou, ou não...o que pensa, o que vc lembra...enfim, sua contribuição!

Ocorreu um erro neste gadget